Brindando 2018 – Não podemos ser gratos sem a Verdade.

vidros-do-champanhe-brinde_23-2147587133Gratidão – a verdadeira gratidão – exige a Verdade. E isso não é o mesmo que a sinceridade. As pessoas podem estar sinceramente erradas. As mentiras podem se tornar tão arraigadas, tão repetidas, então podemos acreditar no que pensamos, sentimos, no que outros nos ensinaram… com sinceridade. Assim, é que a sinceridade se torna o substituto da verdade em um mundo enlouquecendo com hipocrisia e lisonja. Mas a verdade não é o sentimento de veracidade ou a intenção de veracidade. A verdade é verdade todo o caminho do início ao fim. É verdade nas partes internas; É verdade fundamentada na realidade, como as coisas realmente são, como tudo é na mente de Deus.

A gratidão exige esse tipo de verdade. Caso contrário, a gratidão é apenas outra forma de relativismo. A gratidão aponta para algo, segura algo, sabe algo e agradece por essa coisa, por esse sabor, por esse presente, esse dom. Mas agradecer por nada em particular ou pelos sentimentos que se conjura dentro de sua cabeça ou entranhas é apenas sentimentalismo e não precisa de nada no mundo real para que isso ocorra. E assim ficamos com gratidão sendo um sentimento pessoal e subjetivo que pode ir e vir, que pode ser desencadeado por qualquer coisa ou nada. Não precisa de uma realidade ou mesmo de algo bom ou verdadeiro, e, portanto, é realmente tão profundo quanto seus sentimentos – que vem e vão.

Mas a gratidão cristã é fundamentada na realidade, no que é verdade na mente de Deus, então é tanto no meu coração quanto no mundo. É certamente verdade que nossas experiências diferentes e variadas cortam nossas apreciações, nossos gostos, nossos amores, mas nossas experiências variadas não dominam a realidade. Elas não deslocam a realidade – graças a Deus. Apesar de nossas circunstâncias, nossas histórias, Deus ainda é Deus, o mundo ainda é o mundo, e o que é objetivamente bom ainda é objetivamente presente.

Então, quando agradecemos, estamos dando graças não apenas pelo sentimento de gratidão, estamos dando graças pelo que é verdade. Estamos apontando para o mundo e afirmando que essa coisa, essa salvação, esta mesa, essa casa, essa família, essas crianças, esses vizinhos e amigos são reais e que são verdadeiros presentes de um verdadeiro Doador. Estamos dizendo que eles existem, e estamos dizendo que eles existem pela graça e para a glória de Deus. E quando dizemos obrigado, estamos tentando dizer isso durante todo o tempo.

O corolário de tudo isso, é claro, é que não podemos agradecer pelo que não é Verdade. Não podemos agradecer pelo mal. Não podemos chamar mal de bem e celebrar isso. Porque essa é uma mentira. Não podemos agradecer por vitórias pecaminosas, amizades corrompidas, comunhão na rebelião, um relacionamento adúltero, por fornicação, por embriaguez, por roubo, por inveja, por orgulho, por amargura. São todas mentiras sobre o que é verdadeiro, bom e bonito. É claro que Deus em Sua bondade dá dificuldades e aflições, e nós podemos e devemos agradecer por tudo. Mas nós não agradecemos a desordem e a perversão no mundo, a perversão do que devia honrar a Deus. Agradecemos ao Senhor que anula e triunfa como Deus  através da desordem e a rebelião de homens pecadores num mundo caído. E somos capazes de agradecer por essas coisas dessa maneira porque é verdade.

Portanto, esse é o fermento do evangelho, o fermento da sinceridade e da verdade – a  verdade que vai todo o caminho do início ao fim de qualquer situação, relação… E esta é a verdadeira gratidão, verdadeira ação de graças – alegria que se delicia no vinho e no riso, nas velas e nas tortas, mas se deleita precisamente porque são reais, porque são verdadeiras e boas dádivas de um Doador Bom e Fiel e que serão usadas para Sua glória, a Um em quem não há sombra de variação, aquele de quem todas as dádivas boas e perfeitas  descem de cima.

É por isso que confessamos nossos pecados. É por isso que nós perdoamos rapidamente e com prazer. É por isso que cantamos com todo ar dos nossos pulmões. É por isso que amamos todos os homens na verdade. É por isso que fazemos torradas. É por isso que contamos piadas. É por isso que agradecemos. Porque a verdade é como a gravidade, e apesar da loucura dos homens pecadores, tudo realmente desce. Não tema as reivindicações dos loucos. Não se desespere com as decisões oficiosas dos ímpios. Nosso Deus está no céu, e Jesus está à Sua direita. Todas as coisas foram entregues nas Suas mãos; Ele está intercedendo por nós. E ele deve governar até que todos os Seus inimigos tenham sido colocados sob Seus pés. Esta é a verdade, a verdade que liberta os homens. Levante um copo (levante dois, uma vez que você tem duas mãos) e agradeça. Esta é a gratidão que vence o mundo.

Autor: Josemar Bessa

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s